Selecionando um cartão exclusivo para você!

Direitos dos animais: influência dos programas do governo

direitos dos animais
Imagem: Canva

Os animais não humanos são seres sencientes, ou seja, capazes de sentir dor, prazer, medo, alegria e outras emoções. Eles também têm interesses próprios, como viver, se reproduzir, se alimentar e se relacionar com outros membros de sua espécie. 

Por isso, muitos defensores dos direitos dos animais argumentam que eles merecem respeito e consideração moral, assim como os seres humanos.

No entanto, a realidade é que muitos animais sofrem exploração, abuso e violência nas mãos dos humanos, seja para fins de alimentação, vestuário, entretenimento, pesquisa ou simplesmente por crueldade. Portanto, essas práticas violam os direitos dos animais e causam imenso sofrimento e morte a bilhões de indivíduos todos os anos.

Diante desse cenário, surge a questão: o que o governo pode fazer para promover os direitos dos animais? Quais são os programas existentes e quais são as suas limitações? Como os cidadãos podem participar e cobrar ações efetivas das autoridades?

Programas do governo para os direitos dos animais

Existem diversos programas do governo que visam proteger e melhorar a situação dos animais no Brasil. Alguns exemplos são:

  • O Programa Nacional de Sanidade dos Animais Aquáticos (PNSAA), que tem como objetivo prevenir e controlar as doenças que afetam os animais aquáticos, garantindo a qualidade sanitária dos produtos de origem animal e a saúde pública.
  • O Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros (PNCRH), que visa erradicar a raiva dos herbívoros domésticos e silvestres, reduzindo os riscos de transmissão para os humanos e outros animais.
  • O Programa Nacional de Proteção e Defesa do Consumidor (PROCON), que fiscaliza e orienta os estabelecimentos comerciais que vendem produtos de origem animal, verificando se eles cumprem as normas de higiene, rotulagem e bem-estar animal.
  • O Programa Nacional de Educação Ambiental (ProNEA), que promove a conscientização e a sensibilização da população sobre a importância da preservação do meio ambiente e da biodiversidade, além disso, incluindo o respeito aos animais.
  • O Programa Nacional de Apoio à Conservação da Biodiversidade (Probio), que apoia projetos de conservação de espécies ameaçadas de extinção e de áreas prioritárias para a biodiversidade, envolvendo comunidades locais e organizações não governamentais.

Conheça outros exemplos

Esses são apenas alguns exemplos de programas do governo que podem ter impacto nos direitos dos animais. No entanto, eles também apresentam desafios e limitações, como:

  • A falta de recursos financeiros e humanos para implementar e monitorar as ações propostas.
  • A falta de articulação entre os diferentes órgãos e esferas do governo, gerando conflitos de competência e sobreposição de atribuições.
  • A falta de transparência e participação social na elaboração e avaliação dos programas, dificultando o controle social e a prestação de contas.
  • A falta de uma legislação específica e abrangente sobre os direitos dos animais, que reconheça sua personalidade jurídica e estabeleça deveres e responsabilidades dos humanos para com eles.
  • A falta de uma cultura de respeito aos animais na sociedade, que ainda os vê como objetos ou recursos à disposição dos humanos.

Os direitos dos animais são um assunto relevante e urgente na atualidade. Sendo assim, os programas do governo podem ter um papel importante na promoção e defesa desses direitos, mas também precisam ser aprimorados e ampliados. 

Além disso, é fundamental que os cidadãos se envolvam na causa animal, exigindo políticas públicas efetivas, denunciando maus-tratos e abusos, educando-se e educando outros sobre o tema e adotando hábitos de consumo e de vida mais éticos e sustentáveis. 

Só assim poderemos construir uma sociedade mais justa e harmoniosa para todos os seres.


Última atualização: 23 de outubro de 2023

Recomendamos:

Confira também

CARTÃO BMG CARD
A menor taxa de juros, sem anuidade
e possui diversas vantagens!
CARTÃO MAGALU
2% de cashback
Zero Anuidade
CARTÃO PICPAY
Zero anuidade e limite
pré-aprovado a partir de R$ 400.
CARTÃO SUPERDIGITAL
Passa no crédito,
mas debita na hora.